+351 800 500 128 - Linha livre para os residentes de Portugal

Criança nascida pela uma mãe substituta

Muitas pessoas acreditam que uma mãe de aluguel é uma mulher que abandona o seu filho. De jeito nenhum! Um bebê que nasce num centro de medicina reprodutiva tem os país biologicos verdadeiros. Vamos contar agora como isso acontece.

Para começar, vale a pena destacar, quanto a maternidade de substituição é mais eficaz de que outros métodos alternativos.

Porque 90% dos casais inférteis recorrem às agências de maternidade de substituição?

1a razão. Uma família completa. Infelizmente, nem cada casal pode dar à luz uma criança . E todos nós entendemos que uma família sem filhos pode se sentir incompleta. É por essa razão que eles recorrem aos centros de maternidade por substituição.

2a razão. Uma própria criança. Se você não pode dar à luz uma criança, esta é sua única chance de se tornar pais biológicos reais.

3a razão. Resultado de 100%. Muitos casais decidem primeiro tentar tratamento, gastando muito dinheiro e tempo nisso. Mas os anos passam e às vezes parece que uma vida inteira não é suficiente. Neste caso, é necessário entender que mesmo se uma mulher pode engravidar, isso não é uma garantia de que ela pode dar à luz.

Frequentemente ocorrem complicações, que ameaçam não apenas a vida do feto, mas a da própria mãe. E numa agência da gestação por substituição você sempre terá um bebê própio e saudável!

O que papel desempenha uma mãe de aluguel?

Uma mãe de aluguel é uma mulher que da à luz um bebê, que não é seu próprio. Isso ocorre como resultado da inserção de um óvulo já fertilizado no corpo de uma mulher. Graças a este princípio, o feto recebe todo o material genético dos seus pais. A mãe de aluguel é apenas o meio para o seu bem-estar.

Na maioria das vezes, a causa da infertilidade dos casais é a incapacidade de uma mulher para carregar e dar à luz uma criança saudável. É essa função que a mãe substituta efetua. As células dela não estão envolvidas no processo, então ela não tem nenhuma relação genética com a criança.