+351 800 500 128 - Linha livre para os residentes de Portugal

Fertilização in vitro

A fertilização in vitro é um método popular de tratamento da infertilidade. Esta tecnologia é usada em todo o mundo, graças à FIV nasceram muitos bebês saudáveis. Este método é usado para várias causas de infertilidade. Na maioria das vezes estas são obstruções nas trompas de falópio ou baixa qualidade de espermatozóides do homem. Uma característica especial do método é que a concepção de uma criança ocorre fora do corpo da mulher. Nos círculos não médicos, essa tecnologia é chamada de “concepção em proveta”.

  1. A primeira etapa da fertilização in vitro é a estimulação ovariana. Para isso, uma mulher tome medicamentos hormonais para um bom crescimento dos oócitos. Este processo é monitorado com auxílio de ultra-som. Depois que as células amadurecem, o material biológico é coletado. Juntamente com o processo de punção, é realizada a coleta de espermatozóides do marido. A fertilização é feita usando as células reprodutivas obtidas.
  2. Fertilização e cultivo de embriões. Esse processo leva vários dias. Em caso de baixa qualidade de esperma, um espermatozóide é injetado diretamente num óvulo.
  3. Transferência do embrião para a cavidade uterina usando um cateter especial. Não sempre embriões se implantam pela primeira vez. Muitas vezes, o sucesso leve algumas tentativas. Se a implantação for bem sucedida, os embriões restantes podem ser removidos ou deixados, resultando em gravidez múltipla.
  4. Após 2 semanas, a gravidez pode ser confirmada. Desde a primeira tentativa da fertilização in vitro, a gravidez ocorre em 40% dos casos. Às vezes, mais óvulos ou espermatozóides são necessários.

Se inúmeras tentativas de fertilização in vitro não trouxerem o resultado, os especialistas recomendam recorrer a outros métodos de reprodução assistida.